Páginas

A escolha da nova escola

|

Quase certo é que todo pai e toda mãe deseja o melhor para seu filho e isso se multiplicou por mil, na minha cabeça e no meu coração, quando o assunto foi a mudança de escola do Dan. Quem acompanha o blog, leu vários posts sobre a dificil adaptação que ele teve ao iniciar a vida escolar aos 18 meses, época em que voltei a trabalhar. Quis voltar atrás inúmeras vezes na decisão, mas, segui em frente e alguns meses depois as coisas foram se acalmando, até chegar ao ponto do Daniel pedir para ir pra escola para ver os amigos, fazer atividade e, claro, brincar. Afinal, brincar ou recrear é tudo que uma criança no auge de suas descobertas e curiosidades precisa, ou não? Eu sempre pensei que há tempo para tudo nessa vida e que simplesmente adiantar qualquer processo de aprendizado para que o filho "saia na frente" das outras crianças é um erro. Sei que tem muitos (mas muitos mesmo) pais que querem que os filhos já saibam ler, escrever, desenhar, falar outro idioma, tocar um instrumento antes mesmo da primeira infância acabar e só posso dizer que cada familia sabe o que é melhor para si. Eu não estou com pressa porque penso que a vida adulta é muito longa e se eu não permitir que meu filho "só" brinque agora, quando ele o fará?!
E por que tocar nesse assunto? Bom, como Daniel começou a ir para escola antes dos dois anos, as opções em Manaus eram muito poucas, já que a maioria das instituições só aceita crianças a partir de dois anos. Acabei escolhendo uma escolinha-creche mais ou menos perto de casa, que funciona período integral; porém, coloquei o Dan só pela tarde pois sempre acreditei ser melhor para a criança estar um período em casa e outro período na escola, e, óbvio, eu podia/posso trabalhar somente à tarde, senão, a escolha teria que ter sido outra. Acontece que por se tratar de uma escola pequena e que só atende crianças até os quatro anos, eu pensei em mudar, ano que vem, o Dan para uma escola que ele já ficasse o restante da primeira infância, pelo menos, e foi aí que o meu dilema começou. Visitei duas instituições bem recomendadas, acreditei que havia encontrado a que atendia aos meus requisitos, mas, não saí com o coração tranquilo. Ficou martelando na minha cabeça as palavras da pedagoga: "escola tradicional", "ele terá tarefas todos os dias", "fará pré-alfabetização". Eu só conseguia pensar: "meu filho terá apenas 3 anos ano que vem e já vai ter tanta atividade". Os dias se passaram, o coração continuou inquieto e então a escolinha do Dan perguntou o motivo de eu não deixá-lo lá mais um ano, já que ele está tão bem adaptado etc. Essa conversa só reforçou o que meu coração estava gritando; Dan não tinha que ir para uma escola que já exigisse tanto dele e conversei com o meu marido sobre a possibilidade de não mudarmos o Daniel de escola por mais um ano. Entretanto, levei um balde de água fria...
Quase certa de que Dan ficaria mais um ano na mesma escolinha, fui falar com a professora dele sobre uma atividade que foi como tarefa pra casa que envolvia o reconhecimento das vogais e o quanto vi dificuldade nele para reconhecer as letras, apesar de achar que ele ainda era muito novo para tanto. A professora me diz então que Dan não reconhece mesmo as vogais e que está "atrasado" em relação aos demais alunos, que já reconhecem outras letras do alfabeto. Questionei o fato de ele ser o único da turma a ir só um período e nas entrelinhas acabou ficando claro que esse era o "problema". Daniel saía "perdendo" por não passar o dia todo, sendo que isso jamais me foi relatado, mesmo eu perguntando todos os dias como ele estava em classe. A questão nem foi saber se meu filho estava "atrasado", até porque eu não esperava que ele tivesse que aprender o alfabeto antes dos 3 anos. Não acho que forçar a pré-alfabetização seja o caminho para alunos brilhantes. Minha questão ficou no seguinte: por que não houve essa conversa comigo antes? Ora, dizer ao final do ano letivo que há algo "errado" me pareceu uma grande displicência e me chateou bastante,uma vez que não faltaram oportunidades para uma conversa, inclusive na reunião de pais!!! Resultado: desisti de deixá-lo na mesma escola e fui me debater novamente. Sem qualquer exagero, isso me consumiu três dias e uma noite em claro. Educação para mim é algo muito sério, prioridade zero e eu não quero falhar. É uma imensa responsabilidade porque você vai estar decidindo o futuro de outra pessoa e essa pessoa ainda depende por completo de você. Aflita, a primeira pessoa com quem desabafei foi minha mãe; nessas horas só colo e amparo de mãe resolvem (te amo, mãe!). Falei com a minha prima, conversei com amigas e fui visitar mais uma instituição. Levei o Dan comigo. Queria ver a reação dele. E foi mágico!!! Espaço excelente, construtivista, preocupada em formar cidadãos, associação de pais muito presente, acolhimento ótimo, ufa, um bálsamo! É ideal?? Não, jamais! O ideal está no ideal, mas preencheu o coração dessa mãe angustiada e que viu no sorriso do filho a paz que precisava reencontrar. 2014, nova escola, novos ares, novos amigos e uma vontade enorme de vê-lo crescer num ambiente bacana!


12 comentários:

  1. Ahh... A educação... Recordo de alguns anos antes do prezinho.. jardim será? Enfim.. eu lembro... Antes era mais "sussa" educar, agora essa preocupação em dar não somente o melhor, mas de algo lhes servirá para os anos de desenvolvimento de suas vida é intenso e diário. Dentro de fora de casa. Ao redor... Amigos, família e educadores externos... Meu irmão passou por diversas escolas publicas como eu mas não curtia. Não se adaptava. Quando foi para uma particular, teve seu rendimento duplicado. Eu fiquei na mesma escola estadual toda a minha vida antes da universidade. Eu sou altamente adaptável. Mas quem disse que somos todos iguais? Poxa, até mesmo os educadores as vezes nos impõem um cabresto invisível que nos enforca as vezes. Que sorte que vocês puderam encontrar um lugar bacana para ele. Eu não diria nem sorte, eu prefiro dizer objetivo conseguido, pois vocês hão lutado para isso. :D Sempre é bom passar por aqui hehe bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo!! Cada criança responde de forma completamente diferente! E cabe a nós pais juntamente com os educadores fazer essa observação E conversar! A falha foi aí! Mas nova vida e será bom!! Obrigada por sempre estar presente!! :))

      Excluir
  2. Myriam eu sou uma blogueira muito sem noção, menina acompanho suas histórias e não tinha me tocado que vc era da minha terrinha. Precisamos marcar um dia para nos encontrarmos e apresentar o Daniel as meninas.

    Falando da escola realmente se vc não se sente bem mais com a escola, tem que experimentar outras, nossa que desrespeito não comunicar antes a situação do seu filho, Espero que ele goste da nova escola.

    Tri-beijos Desirée
    http://astrigemeasdemanaus.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahahahahahahahaha eu não sabia que vc não sabia!! Senão teria me anunciado!! Vamos marcar sim!!!
      Quanto à escola, sou muito grata pelo carinho que tiveram nesses dois anos que Dan ficou por lá! Minha chateação ficou mesmo por conta da omissão. Nisso acho que a escola falhou imensamente!
      Bjinhosss

      Excluir
  3. Oi Myriam!
    Aproveitando e me convidando...eu também topo um encontro com as mamães virtuais daqui, viu? É só chamar, que eu vou! rsrsrs
    Que bom que o Dan gostou da nova escola e fizemos o mesmo por aqui, levamos Milena para conhecer a possível nova escola. Pelo visto, ela gostou! Também é escola tradicional...dei um tempo de ir em busca daquelas que parecem "modismo" e acabam cobrando demais da criança sem que seja a fase e sem tanta necessidade.
    É claro que nós queremos ver nossos filhos se destacando, aprendendo e se dando bem, mas sabe, não pense que o Dan estava "atrasado", muito pelo contrário, ela apenas está vivenciando suas fases de acordo com sua faixa etária, sem ultrapassá-las.
    Teria ficado também chateada se fosse comigo, pois por que a escola não avisou antes? sem contar, que a própria escola poderia ter uma metodologia para nivelar ou alguma maneira que todos acompanhem (com o seu tempo, claro) sem estar em período integral.
    Sucesso na nova escola, vai dar tudo certo! Espero que por aqui também rsrsrs
    Beijoss,
    Larissa Andrade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será ótimo esse encontro!! A desvirtualização das blogueiras de Manaus!!
      Boa sorte por aí, Larissa!! Aqui dedos cruzados!!
      Bjinhosss

      Excluir
  4. A escolinha do Davi é pequena também, só vai até os 5. Mas por eqnuanto estou satisfeita, é pequena, há um convívio gostoso entre as tias e as crianças e eles brincam muito mesmo. Concordo com vc! E fiqeui chocada ao saber uqe podem exigir que uma criança de 3 anos já saiba as vogais e mais ainda com a maneira em que foi conduzido isso. Ótima decisão em trocar! Sorte na nova escolinha! Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Rafa!! É preciso respeitar a maturidade das crianças! Há tempo pra tudo! Não estamos numa corrida de cavalos, não é mesmo?! Bjão!!

      Excluir
  5. Vou tentar falar muito e não escrever um post dentro do seu kkkk
    Eu sou muuuuuito chato em relação aos estudos, mas chato no sentido de defender uma boa formação respeitando a individualidade e tempo de cada um deles. Comecei no jardim aos 3 anos, pulei direto do primeiro para o terceiro período porque já estava avançado em comparação a turma, mas nunca fui forçado a aprender nada em casa e nem minha mãe me obrigava a qualquer coisa, aprendi vendo e no meu tempo. Acho que quando faz o que te interessa, faz melhor e qualidade pelo simples fato de se fazer com prazer. Acho que a melhor decisão vocês tomaram, deixaram o pequeno escolher dentro dele o que lhe dava prazer.
    Tenho uma proposta para a humanidade e pode começar por nós que escrevemos para tantos pais: Vamos deixar nossos filhos serem as crianças que precisam ser e parar de robotiza-los? Que escolham se serão diplomatas, advogados, publicitários e todo resto, só quando quiserem!
    Falei demais. Ehehehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Léo!! Que bacana vê-lo aqui!! A proposta está aceita! Vamos deixar os pequenos livres! Robôs não, por favor!! Tenho muito cuidado ao escrever mas gosto de deixar claro o que penso e sinto. De alguma forma ou de toda a forma somos responsáveis pelas mensagens que passamos aqui! Espero revê-lo em breve!!
      Abraços!!

      Excluir
  6. amiga graças a Deus que no fim esse coração angustiado
    acho abrigo, e tudo tá indo certo
    agora amiga, sempre queremos o melhor para nossos
    filhos e uma boa escola é um dos caminhos

    linda noite bjs

    Ser Mamãe Pela Segunda Vez
    Google+Nanda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Nanda!! Bom dia pra vc!!! Bjinhos!!

      Excluir

Palpite à vontade

Layout por Xiricutico.blogspot.com para uso exclusivo de Myriam. Proibida a cópia!
Tecnologia Blogger