Páginas

O contador de historias

|

Essa é uma história de um menino que contava histórias demais. E de tanto contar histórias, ninguém mais sabia o que era real e o que era inventado, pois o menino contava com tantos detalhes, que mesmo o mais absurdo dos fatos, desconfiava-se poder ser verdade. Tudo era possível para o menino. Até mesmo os desiguais viviam em perfeita harmonia. Naquele mundo que ele criava, todos podiam ser amigos. O único medo que assombrava seus contos era o lobo malvado que usava chapéu. Eu não sei bem porque o menino gostava tanto de imaginar o lobo com esse chapéu, mas não havia uma história sequer sem que o tal lobo de chapéu não aparecesse. Acontece que esse lobo, apesar de malvado, tinha seu calcanhar de Aquiles. O menino sempre dizia, ao final de cada história, que o lobo malvado tinha corrido para casa da mãe e que esta nobre senhora sempre chamava sua atenção para que não mais fizesse tolices. Fico a imaginar o porquê dessa figura materna sempre tão presente...
Mas, como eu dizia, para o menino tudo era possível. Jacarés falantes com bocas enormes, palhaços que iam pra escola, dragões que entravam no carro, monstros que se escondiam em mínimos buracos, cavaleiros que salvavam a mãe. O menino não parava de contar e criar. O mais interessante das histórias contadas por ele, é que em nenhum momento de suas descrições existe o feio ou o bonito; o gordo ou o magro; o rico ou o pobre; o normal ou o diferente. Os personagens simplesmente são. E que lindo é ver alguém desprovido de preconceitos bobos. Quando foi mesmo que aprendemos essa palavra? Quando foi que deixamos de olhar o outro sem reservas? Não sei responder. Só sei que prefiro acreditar nas histórias do menino. São todas elas mais dignas do que as que tenho ouvido e lido por aí.

P.S.: para Daniel, minha eterna inspiração:
Je suis amoureuse
Je peux mourir d'amour pour lui
Et lui? Je ne sais pas
Je ne sais pas de son amour
Mais mon amour c'est trés grand
Que je peux aimer pour nous deux.



10 comentários:

  1. Ah, Myriam! Que coisa mais linda! O texto, a observação sobre a falta de preconceitos, as histórias, a figura da mãe, a inspiração. Tudo, tudo é muito lindo! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Nana!! Vc sempre é uma querida!!! Bjsss

      Excluir
  2. Ai, que lindo, Myriam!
    Histórias de crianças são sempre marcantes por serem verdadeiras, embora as vezes não entendamos a conexão que elas fazem e a história pareça sem sentido.
    Minha filha também fala do lobo malvado. Mas ela é fã dele. Torce para que ele apareça na vida dos três porquinhos, coitados! Kkkkk...
    Bjim!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Sílvia!! Daniel oscila entre ser fã do lobo e ter medo dele..hahahahahahahahahaha

      Excluir
  3. Oi, Myriam! A gente sempre se surpreende com as crianças, com a criatividade delas. Que o pequeno Daniel continue esperto, crescendo saudável e vendo o mundo assim sem preconceito. Que lindo!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Eu tbm prefiro as histórias do menino, totalmente livre de preconceitos que parecem colar em nós ao longo da vida e temos que ir nos despindo deles, de tempos em tempos, antes que soltemos alguma pérola por ai, rs.
    Bjus e ótima semana!

    Rafa
    rafaelando.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita, Rafa!! Ótima semana pra vc!! Bjs!

      Excluir
  5. É lindo quando eles recriam as velhas histórias, quando inventam outras, quando misturam tudo. Mais lindo ainda quando eles dividem com a gente!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma delicia mesmo, Marusia!! A gente se encanta!! Bjão!!

      Excluir

Palpite à vontade

Layout por Xiricutico.blogspot.com para uso exclusivo de Myriam. Proibida a cópia!
Tecnologia Blogger