Páginas

Saindo da zona de conforto

|
Ao longo desses 2 anos e 9 meses de maternagem, eu me desconstruí e me construí dezenas de vezes. Muitas verdades absolutas foram postas em voga. Tudo o que havia de mais certo na minha vida, desabou, e, assim, fui-me recriando e me redescobrindo não só como mãe, mas, principalmente, como pessoa. Por ser muito inquieta, todas às vezes em que me senti confortável demais, procurei mudar. Conforto é ótimo, mas, em demasia penso ser comodismo e disso eu fujo! Necessitei mudar a rotina várias vezes. Não que eu não goste de rotina, mas, é que como eu estava em processo de mudança, a vida do jeito que estava, não mais condizia com o que eu estava buscando. Uma das coisas que sempre gostei de fazer foi desafiar a mim mesma, mas, eu receava demais as consequencias. Hoje eu me sinto segura e forte o suficiente para me desafiar e chegar ao meu limite. Eu me sinto exatamente como o personagem de um livro que amei ler, o Santiago de "O Velho e o Mar". A briga não é exatamente com um peixe enorme, mas sim consigo mesmo. Até onde se consegue superar os limites físicos e psicológicos. Daniel é o grande protagonista dessas mudanças, pois por ele fui em busca de ser alguém melhor. Por ele, mergulhei no mundo da maternidade e descobri tanta gente e informações maravilhosas. Aliás, ler tanto sobre, foi um mundo que se revelou. Mais do que nunca abomino quem escolhe "não saber". Gosto de quem corre atrás, informa-se, devora, pois só o conhecimento nos leva a algum lugar maior. De tudo o que ouço e leio, há algo que ecoa sempre: viva intensamente o hoje sem se martirizar tanto com o que estar por vir, porque o amanhã ainda não nos pertence, então, por que se antecipar? Parece simples, mas, para mim, é um exercício, o qual estou aprendendo, devagar, a experimentar. Tem sido bom!



4 comentários:

  1. Ah, eu amo este livro que vc mencionou! Retrata realmente toda a nossa luta diária que é a única que a gente pode dominar, afinal o passado não nos pertence e o amanhã nem aconteceu. É isso mesmo!
    Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse livro é sensacional!! Li de uma vez!! ;)

      Excluir
  2. Myriam! Como vc está? ;) Adorei o post, principalmente porque me identifiquei muito em algumas partes!! Esta semana mesmo, estou num conflito comigo mesma, que é refletido muito em uma música dos Los Hermanos. "Antes de te ter e de ser teu, o que eu queria, o que eu fazia, o que mais? Alguma coisa a gente tem que amar, mas o que eu não sei mais". Eu mudei tanto nos últimos anos! E foi o que conversei com marido. Não foi ele quem me mudou, e eu jamais o culparia por esta mudança! Eu mudei. Mas pq? Foi eu que quis assim? Eu fui sendo levada pela vida? Estou no controle remoto? Eu prezo a felicidade acima de TUDO. E eu sei que sou feliz. Mas já não sei bem do que eu gosto, o que eu defendo... Acho que estou na TPM. rs Mas, como eu sempre disse, a TPM não cria conflitos, ela apenas os deixa mais expostos. :) Beijo grande!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Julia, querida!! Saudades também!! Vou bem, mas, sempre inquieta!! Rsrsrsrsrsrs...vejo que não sou a única!! Rá! Los Hermanos...amo tanto...letras que dizem tanto...sei como é se sentir assim e isso é bom, menina! Já já você se encontra, tenho certeza!! TPM mexe muito com a gente mas concordo com vc! Ela só revira o que já queríamos revirar!!
      Beijossss

      Excluir

Palpite à vontade

Layout por Xiricutico.blogspot.com para uso exclusivo de Myriam. Proibida a cópia!
Tecnologia Blogger